Namoro santo, eu vivi!

Sempre me perguntam como foi viver um namoro santo no auge dos 26 anos, e eu respondo: foi a decisão mais louca e mais acertiva que eu vivi.

Para vocês entenderem. Eu já havia namorado durante anos… Namoro rápido do mundão: bebida, baladas e sexo.

Nessa época nunca havia tido contato com a castidade. Não sabia o que era, pra que vivê-la e o quão ela seria importante para outras decisões da minha vida.

O relacionamento terminou, conheci outras pessoas, mas nada foi para frente…

Eu estava muito machucada com tudo que havia vivido. Me vi sozinha e sem grandes expectativas para viver um relacionamento que iria me ajudar a crescer em todos os aspectos.

Até que, no Jovens Sarados vivi a minha experiência íntima com Deus e ali, naquele momento, Ele próprio aguçou a minha curiosidade sobre o tema.

Desde então, um caminho sem volta. Em 2015 prometi para mim e para Deus que só teria contato com outro homem se aquele fosse meu esposo.

Ainda não sabia nada sobre a castidade, só havia escutado alguns testemunhos. Então, comecei a ler muito. Livros, a Bíblia, pesquisas, testemunhos.

Assisti muitas pregações e conversei com pessoas que viviam aquela realidade. Com isso, a vontade de experimentar uma vida de intimidade com Deus e comigo foi crescendo naturalmente.

O tempo passou, minha postura havia mudado e eu esperava a vontade de Deus prevalecer na minha vida.

Leia também: Castidade ainda existe?

Depois de três anos sozinha (desde que terminei o antigo relacionamento, não tive contato físico com ninguém), conheci o Diogo, aos poucos nos tornamos amigos e fomos nos conhecendo.

Da amizade, o sentimento foi surgindo. Primeiro em mim e coloquei em oração, depois nele, que fez o mesmo.

Iniciamos o caminho de namoro. Não havia abraços, mãos dadas ou conversas impróprias.

Éramos amigos, os melhores. Íamos a Igreja, nos gastávamos ali. Saímos com os amigos e conversávamos muito sobre aquilo que queríamos para as nossas vidas.

Leia também: Solteiros vivem a castidade?

Passaram os meses. O sentimento cresceu espiritualmente e racionalmente. Sim, namoro santo também precisa ter doses de razão, são elas que vão te afastar das tentações fisiológicas naturais do ser humano.

Começamos a namorar. Ao contrário do que muita gente pensa, namoro santo é muito bom e nos molda para vivermos muitas coisas importantes no matrimônio. Principalmente a abstinência e castidade.

Não tem segredo, viver com prudência. Ter paciência, conhecer seus limites e o do outro e saber dizer não.

Namoro santo é oração! É colocar seus sentimentos à disposição de Deus e não do outro.

Nenhum relacionamento sustentado apenas pelo homem dura até que a morte os separe. Só Deus nos molda para viver uma vida ao lado do outro.

Leia também: Namoro santo, ele existe!

Entre namoro e noivado foram praticamente dois anos. Muitas lutas, muitos dias longe para não cairmos e a maioria deles cercados de pessoas.

Quase não ficávamos sozinhos, nada de dar chance pro pecado!

A luta até o altar foi grande. Mas foi maravilhosa e hoje colhemos os frutos de um namoro bem vivido.

Para você, homem ou mulher, que deseja viver um namoro santo eu te falo. Vá em frente!

Não desista desse propósito, que vai te fazer crescer muito como pessoa.

Para te ajudar a viver com mais consciência, separei 5 dicas para você viver bem um namoro santo:

1- Oração: Ela deve começar sempre individualmente, você colocando em Deus seus desejos e se abrindo para ouvir aquilo que o próprio Senhor quer para a sua vida. Lembre-se, Deus as vezes corta, então, seja compreensível. Tenha essa vida de oração também com o seu namorado. Eu e o Diogo, por exemplo, colocamos como propósito do nosso namoro ir a missa todos os dias de manhã. Foi ótimo, oração e sacrifício que nos ajuda até hoje.

2 – Conversem: Falem sobre quase tudo. Ficou confuso? O que eu quero dizer é que assuntos sobre passado ou que te deixe aguçado fisiologicamente não são bacanas por motivos óbvios. Conversem sobre sonhos, família, o que gostam e tantas outras coisas por aí. É exatamente esse diálogo que vai ajudar um conhecer o coração do outro.

3 – Façam coisas juntos: sirvam na Igreja, ajudem os mais pobres, doem sangue, caminhem no parque… Sim! Vocês precisam ter um momento juntos. Juntos e não grudados oka? Lembro que eu e o Diogo sempre passeavamos  lugares públicos e era ótimo bater perna com ele por aí.

4 – Tenham o apoio de um casal que vivem aquilo que vocês querem viver: Graças a Deus e o Diogo temos um casal de amigos, hoje nossos padrinhos que nos ajudam muito em diversas questões a respeito de relacionamento. Hoje que temos nossa família então, ajudam e nos acompanham sempre. Além de ser inspiração, eles nos orientam bastante.

5 – Façam um jogo de perguntas e respostas: Falamos essa dica para todos os casais que acompanhamos hahhaha é engraçado, parece besteira, mas foi justamente isso que nos ajudou ter certeza para dar o próximo passo. Cada um fez um questionário com 10 coisas que amam e 10 coisas que odeiam. Depois de preenchido, trocamos os papéis e conhecemos um pouco do gosto um do outro. A propósito, havia bastante coisa em comum.

Dê uma lida nos posts sobre esse tema que estão linkados nesse texto!

Não esqueça de compartilhar com os amigos heim?!

20200525_082118_0000

Um comentário em “Namoro santo, eu vivi!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s